segunda-feira, 16 de junho de 2008

Um Salto Para a Liberdade!

Achei maravilhoso. Perfeito. Uma das experiências mais gratificantes de minha vida, foi muito além de minhas expectativas.

"Era manhã de segunda feira, dia 21/04/2008, passavam das 09h quando a Marcel2 me chamou para começar a preparação para o salto. Vestir o macacão, os equipamentos de segurança, etc. A música é de aventura, e adrenalina anuncia que algo novo e revelador está para acontecer.

Logo aparece o cameraman que documenta aquele brilho nos olhos que faz pessoas de todas as idades parecer ter novamente 9 anos. E após conferir o material de segurança, seguimos para o Avião unindo-se com o grupo de pára-quedistas profissionais, de alunos, de primeira viajem como eu, paulistas, cariocas, capixabas, japoneses e corinthianos. Todos juntos, unidos ao mesmo ideal, saltar de pára-quedas.

Logo o piloto liga os motores, gira a hélice, e desperta a trilha sonora de um filme real de aventura onde protagonista é você. E em um trajeto de mil metros já estamos voando em direção a um lugar que pertencia apenas ao mundo dos sonhos. E vamos subindo, 3 mil...., 5 mil..., 9 mil pés. Logo as casas, plantações, rios e lagos cabem em uma tela, em um lindo quadro, uma obra rara de arte, inspirada na natureza e pintada pela alma.

E lá acima, lá depois do oceano de nuvens, alcançamos 12 mil pés, 3,8 km, e nesse instante o silêncio é interrompido pelo bip que avisa que é chegada a HORA de fazer o último cheque de seguranças, vestir os óculos, e saltar para vida, para liberdade. Hei, houuuuu...... e lá estamos, em câmera lenta, saltando em espaço aberto, gritando a plenos pulmões de alegria, nascendo por entre as nuvens para uma vida toda nova, nascendo para uma vida inteira. E a 200 km por hora, os 50 segundos de queda livre também voam, e em um instante abre-se o pára-quedas e descemos, flutuando em espiral, contemplando em silêncio a terra, contemplando Gaya na sua poética, que tento descrever em palavras, mesmos sabendo que viver essa emoção, só é possível com seus próprios olhos."

Marcele, Tavinho, Dudu, enfim, a todos da Equipe Pára-quedismo Boituva meu muito obrigado, bons saltos e até a próxima.

Giovani de Arruda Campos

4 comentários:

Foco disse...

Parabéns pela coragem Giovani,deve ser uma sensação única, mas tô fora...
Só se tivesse uma base sob meus pés, rsrs...
Não confio na cordinha!
Grande abraço.

Giovani Arruda disse...

O foco, valeu pela força. Obrigado também Walter, vocês estavam lá em cima comigo. Todos os meus amigos, que acompanharam os momentos de alegria e de tristeza, estiveram comigo naquele momento mágico. Sem dúvida foi uma experiência única e reveladora. Em breve vou saltar de novo, mas ainda não sei o dia, porque não quarta-feira?

Flávia disse...

Tentamos acompanhar o salto mas não conseguimos... Dá próxima vez, quem sabe, a gente além de te prestigiar não se empolga e salta também ...
Legal Gioba, foi emocionante mesmo e me deu muita muita vontade de saltar ... Coragem? Não sei, acho que se perceber que me falta será lá em cima no avião, daí já era né?!

Giovani Arruda disse...

Nem me fale daquele dia de chuva.kkkk. Lembra dos trovões? kkk. Mas é assim mesmo. Creio que não foi coragem mas sim vontade de realização. Sinto medo de um monte de coisa, inclusive de altura, isso é normal. Mas quando uma voz, que vêm de dentro da gente, nos chama para uma realização, não há nenhum outro sentimento se não o de certeza. Bjão proce Flávia..saudades de todos..