quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Estrada Real

Após dar uma olhada na net, resolvi aventurar-me num verdadeiro raly. Depois de São José dos Campos e Guaratinguetá, em Cunha, pude descer até Paraty pela Estrada Real. Repleta de verde por todos os lados, cachoeiras e ruínas históricas, muita lama e buraco também,  mas vale à pena! Formada por asfalto, terra, trilhas de pedra. Pura adrenalina à uma velocidade média de 15 km/hora, mas por precaução,  resolvi voltar pelo caminho "normal" ...

DSC04071  DSC04080 cópia DSC04074

Se ao invés de descer para o litoral, seguir o caminho no sentido interior, chegamos em Ouro Preto, passando por São João Del Rei e Tiradentes. Mas esta vai ficar pra outra mini-férias.

Paraty era considerada o "Portal para El Dorado". Do mar, direto para o centro do ouro nas Minas Gerais.

DSC04132

A designação "Estrada Real" reflete o fato de que era esse o caminho oficial, único autorizado para a circulação de pessoas e mercadorias. A abertura ou utilização de outras vias constituía crime de lesa-majestade. Estrada exclusiva para fiscalização do escoamento das riquezas e comércio de escravos. Cerca de 1200 Km que eram percorridos em cerca de 95 dias.

DSC04075

"A Estrada Real foi sendo construída nos muitos anos de idas e vindas, das Minas ao litoral, desde o século XVII, em busca das riquezas. Caminhar pela Estrada Real é reviver os passos e os caminhos pecorridos pelos escravos, pelo ouro e pela história. Constituída, ainda, pelas vias de acesso, os pontos de parada, as cidades e vilas históricas que se formaram durante o passar dos homens e do tempo.
Inicialmente, o caminho ligava a antiga Villa Rica, hoje Ouro Preto, ao porto de Paraty, mas pela necessidade de uma via de escoamento mais segura e mais rápida ao porto do Rio de Janeiro e, também por imposição da Coroa foi aberto um "caminho novo". A rota de Paraty passou a ser o "caminho velho", a partir do século XVIII. Com a descoberta das pedras preciosas na região do Serro, a estrada se estendeu até o Arraial do Tejuco (atual Diamantina), deixando Ouro Preto como o centro de convergência da Estrada Real.
Assim se formou o complexo da Estrada Real, ou seja, mais de 1600 km de patrimônio, cercado de montanhas, natureza, cultura e arte. Conhecer a Estrada Real é reviver o passado e a história de Minas e do Brasil.
Assim como as riquezas que foram extraídas da terra, venha explorar as belezas da região, a pé, a cavalo, de bicicleta ou de carro em um passeio inesquecível pela Estrada Real."

                                           Instituto Estrada Real

O Instituto Estrada Real foi criado em 2001, em parceria com o governo federal, para a preservação de mais um patrimônio histórico.

Recomendações: Tanque cheio, viaje durante o dia e sem sinal de chuva, somente com carro off-road e se possível leve um GPS para não ficar desesperado.

Não programei essa viagem, mas dei muita sorte, caso contrário acho que estaria lá encalhado até hoje ...

Um comentário:

Mari Saraiva disse...

reparei sim...mais todo mulher que tem uma unha bem feita gosta de mostra-la hehehehehhee
bom dia pra vcs